top of page
  • Paola Chastagnier

INVENTÁRIO COM RFID EM BIBLIOTECAS

Atualizado: 21 de jul. de 2023



Inventário com RFID em bibliotecas
RFID em bibliotecas


O terror de qualquer bibliotecário é a realização de inventário, pois este processo pode levar dias e ocupar todo o pessoal da biblioteca, além de ser um serviço estressante e trabalhoso devido à sua complexidade. Já imaginou realizar o seu inventário de maneira assertiva e 30 vezes mais rápida?

Inventário com RFID em bibliotecas


Esta é a proposta da tecnologia RFID.


Simplicidade de realizar o Inventário com RFID em bibliotecas


Etiquetando seu acervo com etiquetas RFID e utilizando leitores RFID portáteis o inventário com RFID em Bibliotecas será muito mais simples, rápido e eficiente. Com leitores RFID UHF que operam na frequência 900MHZ o inventário será realizado até 30 vezes mais rápido do que na forma tradicional por meio de leitor de código de barras.


Como a leitura de código de barras é feita por meio de leitura óptica, há a necessidade de visar o código de barras e o processo precisa ser manual. A leitura é realizada individualmente, obrigando, em muitas das vezes, que o item seja retirado da prateleira para sua leitura correta.


Este tipo de processo pode levar dias e ocupar todo o pessoal da biblioteca. Em muitos casos a biblioteca precisa ser fechada ao público durante este período.

Já com a tecnologia RFID UHF a leitura é realizada em massa e sem a necessidade de visada da tag, ou seja, com um simples movimento é possível realizar a leitura de toda uma prateleira. Você economiza tempo e também pessoal. Realizando o inventário com RFID o processo fica tão ágil que não há nem mesmo a necessidade de interrupção das atividades normais da biblioteca.


Vantagens


Além da praticidade e rapidez no inventário, a tecnologia RFID ainda proporciona muitas outras vantagens, como por exemplo a possibilidade de realizar a busca de um item.


Quem nunca passou pela situação de não conseguir localizar um livro no local onde deveria estar. Algumas vezes o livro pode ter sido colocado erroneamente em uma prateleira ou seção diferente, ou até mesmo tenha sido trocado de lugar por algum aluno desatento. É neste momento que a opção de busca, disponível no leitor portátil será muito útil, basta sinalizar o item a ser buscado e ao passar com o leitor pelas prateleiras um alarme sonoro será emitido quando o leitor detectar a presença do livro, o que reduzirá e muito o tempo de busca por itens “perdidos”.


A listagem gerada pela leitura realizada pelo leitor RFID poderá ser exportada em arquivos .txt, xlsx ou poderá ser tratada pelo próprio leitor através de software mobile ou via plataforma web, onde os dados de inventário e gestão de acervo estarão à disposição em qualquer hora e em qualquer lugar por meio de acesso via login e senha. Com a utilização de plataformas mobile ou web você ainda poderá gerar diversos relatórios referentes ao seu acervo. Além de poder expandir a utilização da tecnologia RFID para o controle de patrimônio ou ativos.


E por meio de API de integração é possível atualizar em tempo real de leitura o software de gestão da biblioteca dispensando a necessidade de rotinas de importação e exportação.


Custos


Esta é uma preocupação dos gestores, já que cada livro tem que contar com uma etiqueta de RFID, a aquisição de leitores e software o que por fim pode comprometer os custos. Mas atualmente no mercado já existe a solução inventário por assinatura (SaaS), onde o cliente assina um pacote de serviços e tem a solução a sua disposição pelo período do contrato sem precisar a aquisição de hardware ou software.


Com a tecnologia RFID você terá muito mais do que apenas controle antifurto em sua biblioteca, você terá gestão de acervo, automatização, agilidade e assertividade em seus processos.


Conclusão:


Em conclusão, a tecnologia RFID oferece uma solução revolucionária para superar os desafios do inventário em bibliotecas, tornando-o mais simples, rápido e eficiente. Através do uso de etiquetas RFID e leitores portáteis, o processo de contagem é otimizado, permitindo realizar o inventário até 30 vezes mais rápido do que os métodos tradicionais com leitores de código de barras.


Além da praticidade e rapidez, a tecnologia RFID proporciona uma série de vantagens adicionais. A busca por itens se torna mais precisa e ágil, reduzindo o tempo gasto na localização de materiais "perdidos" ou deslocados erroneamente. A possibilidade de exportar dados para diferentes formatos, bem como o acesso a plataformas web e mobile, facilitam a gestão do acervo e a geração de relatórios úteis para a biblioteca.


Apesar das preocupações com os custos iniciais, a opção de solução por assinatura (SaaS) permite que as bibliotecas tenham acesso à tecnologia RFID sem a necessidade de adquirir hardware ou software, tornando-a mais acessível e viável para diversos tipos de instituições.


Em suma, ao optar pela tecnologia RFID, as bibliotecas não apenas garantem maior segurança antifurto, mas também experimentam um salto na gestão de acervo, automação e agilidade em seus processos. O investimento na implementação do RFID representa um avanço significativo para a modernização das bibliotecas, proporcionando uma experiência aprimorada tanto para os bibliotecários quanto para os usuários. Não espere mais para abraçar essa inovação e elevar sua biblioteca a um novo patamar de eficiência e excelência. O futuro da gestão de acervo está ao alcance das suas mãos com a tecnologia RFID! 📚💡🚀

 

E aí, que tal modernizar sua biblioteca?


216 visualizações0 comentário

コメント


  • Whatsapp
bottom of page