top of page

Sistema RFID UHF (900MHZ) causa câncer, verdade ou mito?

Esta é uma lenda urbana, cabendo uma discussão para desmistificar e ajudar ao nosso leitor uma compreensão clara e técnica do tema. Paola Chastagnier, Executiva de Contas

Antigamente existiam apenas sistemas RFID para bibliotecas na frequência 13,56 MHz, porém com o passar dos anos e os avanços tecnológicos foram criados sistemas de RFID na frequência 900MHz, com utilização em diversas áreas, incluindo gerenciamento de acervo e segurança para biblioteca. Em países da Ásia e Europa, como a França, por exemplo, sistemas de RFID UHF para biblioteca são amplamente utilizados.

Na tentativa de disfarçar a estagnação tecnológica e a incapacidade de avanços na área de sistemas de RFID para bibliotecas, algumas empresas começaram a divulgar fake News de que sistemas de RFID UHF (900MHz) causam câncer aos usuários e que por isto não deveriam ser adotado por bibliotecas. Mas será que isto é verdade ou não passa de mito?

A VERDADE SOBRE RFID UHF (900MHZ)

Você sabia que os smartphones, repetidores de sinais de celular e antenas RFID para controle de acesso operam na frequência 900MHZ?

Ao passo que não nos preocupamos em levar nossos celulares o tempo todo dentro de bolsos, ou deixá-los carregando em nossas mesas de escritório, mesa de cabeceira, embaixo do travesseiro, etc, fica claro que tal frequência de operação não é nociva.

Já observou que os leitores RFID que permitem que você passe pelo pedágio sem parar também trabalham na frequência 900MHz? Se os equipamentos são autorizados para implementação em cancelas de pedágios, significa que não traz qualquer perigo à saúde das pessoas que ali trabalham.

Para falar a verdade, a tecnologia RFID UHF (900MHz) é a mais conhecida do público em geral. A tecnologia RFID HF (13,56MHz) é conhecida apenas para controles de acesso com necessidade de proximidade do cartão, tais como catracas e ônibus. As empresas de tecnologia priorizam a tecnologia RFID UHF (900MHZ) devido à sua diversidade de aplicação, que vai desde monitoramento, gestão de estoque, inventário, controle patrimonial e de ativos até a certificação de originalidade de produto, entre muitas outras aplicações.

Até mesmo o Wifi utilizado em nossas casa e empresas operam em uma frequência 5 vezes superior à 900MHZ, o que seria mortal caso fosse verdade o mito de que a frequência 900MHZ causa câncer.

HOMOLOGAÇÂO ANATEL

Qualquer equipamento de RFID vendido no mercado Nacional precisa possuir a certificação da ANATEL para poder ser comercializado. E com uma breve pesquisa no site da Anatel é possível observar que há uma gama enorme de equipamentos RFID UHF (900MHz) homologados pela Agência e liberados para comercialização no Brasil, incluindo os leitores utilizados em sistemas RFID para bibliotecas. Inclusive é visível que a quantidade de equipamentos que operam na frequência de 900MHZ homologados pela Anatel é muito superior ao número de equipamentos 13,56MHz homologados, ficando claro que tal frequência é aceita pelo mercado em geral.

Para que um equipamento seja homologado pela Anatel ele passa por rigorosos ensaios em laboratório onde são verificadas não somente as características técnicas do equipamento, como também suas emissões de ondas de radiofrequência para que seja descartado o seu risco à saúde. Ou seja, não seria possível haver tantos equipamentos RFID UHF (900MHZ) homologados pela ANATEL caso estes representassem algum risco à saúde de seus usuários.

Certificando-se de que o equipamento que você está adquirindo é homologado pela Anatel, não há motivos para temer, o sistema RFID UHF (900MHz) para bibliotecas é totalmente inofensivo à saúde e trará modernidade, agilidade e segurança à sua biblioteca.

Informe-se e não se deixe enganar por aventureiros que se utilizam de lendas e mitos para esconder suas deficiências e enganar o consumidor. Seja moderno, faça escolhas inteligentes, escolha RFID UHF.

#900MHz #câncer #RFID #sistemaRFID

1 visualização0 comentário
  • Whatsapp
bottom of page