top of page
  • Paola Chastagnier

TECNOLOGIA RFID, QUAL A MELHOR PARA MINHA BIBLIOTECA?

Atualizado: 27 de nov. de 2023

Você já deve ter percebido que em muitos de nossos textos nos referimos às frequências de operação HF e UHF de tecnologia RFID , enfim qual a melhor para minha biblioteca? Certamente para quem não é especialista no assunto fica a dúvida sobre o que estas nomenclaturas significam e qual “tipo” de RFID é mais indicado para ser utilizado em sua biblioteca.


Sistema antifurto para biblioteca há muito deixou de ser uma opção, não há espaço para uma acervo aberto, o quantitativo de colaboradores enxuto e o volume de alunos aumentando período após período, sem contar com uma tecnologia que evita a saída indevida das obras bem como é possível adotar auto serviço, tais como auto atendimento, onde o próprio usuário realiza seu empréstimo ou devolução de forma segura e rápida.


AFINAL QUAL É A MELHOR TECNOLOGIA RFID PARA BIBLIOTECA?


Neste texto iremos esclarecer o que significam estas siglas e lhe ajudaremos a entender suas diferenças e indicações.


Etiqueta RFID para livros
Etiqueta RFID para livros


A FINAL O QUE É UMA ETIQUETA RFID?


Como já dito no blog anteriormente, a tecnologia RFID é uma tecnologia wireless (sem fio) desenvolvida com o objetivo de coletar dados.


Os equipamentos de tecnologia RFID funcionam de forma semelhante a um rádio que sintoniza em frequências diferentes para ouvir diferentes canais. Ou seja, antenas, tags e leitores precisam estar sintonizados na mesma frequência, “falando a mesma língua”, para conseguirem se comunicar.


Existem muitas faixas de frequência diferentes para o RFID, mas as mais comuns são a HF (alta frequência – high frequency), que opera na faixa de 13,56MHz, e a UHF (ultra alta frequência – ultra high frequency), que opera na faixa de 860MHz a 960MHz.


RFID HF


Operando na faixa de 13,56MHz, a tecnologia RFID HF (high frequency – alta frequência) é a mais presente no mercado brasileiro, tanto em fornecimento quanto em uso.

SISTEMA ANTIFURTOS RFID PARA BIBLIOTECA
Biblioteca com RFID

No uso em bibliotecas esta frequência apresenta um bom desempenho quando utilizada em processos de gestão do acervo, porém, deixa a desejar no quesito segurança e antifurto por sua baixa frequência de operação – se comparada à UHF – que faz com que suas etiquetas possuam grandes dimensões, para que possam ser lidas pelos leitores, podendo ser facilmente visualizadas e removidas.


Como exemplo, temos o problema vivenciado pela Universidade Federal de Uberlândia, que adquiriu um sistema antifurto de tecnologia RFID com frequência HF e acabou tendo o seguinte problema: com o passar do tempo, os usuários da biblioteca começaram a notar a presença das grandes etiquetas nos livros. Aqueles usuários mal intencionados descobriram a função destas etiquetas e então começaram a arrancá-las na tentativa de burlar o sistema antifurto. A solução encontrada foi a utilização de um sistema antifurto de tecnologia EM (eletromagnética) adicionalmente, gerando uma despesa extra para a instituição.


A frequência de 13,56MHz é bastante limitada e não permite a expansão para outras áreas da empresa, instituição ou órgão. Ao implementar uma solução RFID HF em uma biblioteca, esta ficará restrita apenas às operações desta biblioteca.


ETIQUETA RFID HF
Etiqueta RFID para livros

Uma limitação bastante preocupante, percebida por usuários de sistemas de RFID HF, é a ineficiência dos leitores portáteis desta frequência pois sua distância de leitura é baixa, obrigando o usuário a aproximar o leitor das etiquetas ou livros etiquetados, fazendo com que um processo de inventário, por exemplo, continue sendo tão lento quando um inventário feito por meio da leitura de códigos de barras.


RFID UHF


Com uma frequência de operação na faixa de 900MHz a tecnologia RFID UHF apresenta inúmeras possibilidades de uso como automação de processos, controle e gestão de acesso, gestão do acervo com inventários e relatórios, antifurto e etc.


Um sistema antifurto de tecnologia RFID UHF para bibliotecas é extremamente versátil e possibilita o uso de etiquetas de tamanhos extremamente reduzidos – quando comparados à HF – geralmente com dimensões de 4mm X 90mm, formatos e acabamentos diferenciados e específicos para serem utilizadas em livros, com adesivo dupla face (similares às tradicionais etiquetas eletromagnéticas), tornando-as etiquetas “invisíveis” quando aplicadas, dificultando a sua visualização e impedindo a sua remoção por pessoas mal intencionadas.


A tecnologia RFID UHF consegue conciliar não só as vantagens do gerenciamento e automação de operações fundamentais para uma biblioteca, como empréstimo, devolução e inventário, como também a função de antifurto para o acervo, dispensando o ônus da instalação de soluções híbridas, como as que se utilizam da tecnologia eletromagnética e RFID HF simultaneamente, por meio do uso de uma única etiqueta.


Outra vantagem do uso da tecnologia RFID UHF para bibliotecas é a possibilidade de expandir seu uso para além da biblioteca, personalizando-o conforme sua necessidade para controle de patrimônio, controle de acesso e tráfego e etc.


O sistema ideal de tecnologia RFID


Agora que você entendeu um pouco sobre as diferentes frequências de operação e as suas vantagens e desvantagens, com certeza ficou mais fácil compreender o porquê da indicação do RFID UHF para uso em bibliotecas. Afinal, com a tecnologia RFID UHF é possível monitorar, inventariar e proteger seu acervo contra furtos com um único sistema.

 

Gostou deste conteúdo? Assine a nosso BLOG para não perder nenhuma novidade! Você será avisado sempre que tiver novo post.

 


203 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


  • Whatsapp
bottom of page